BEDA · Primeiras Linhas

Primeiras Linhas – Um Conto de Natal de Charles Dickens

newbannerprimeiraslinhas

Para começar a história, Marley estava morto. Não havia a menor dúvida quanto a isso. O atestado foi assinado pelo escrivão, pelo sacerdote, pelo agente funerário e pelo encarregado do enterro. Scrooge também assinou, e sua assinatura era sempre bem-vinda, tanto na Bolsa quanto em qualquer outro lugar.

Sim, o velho Marley estava tão morto quanto uma pedra.

Veja bem: não quero dizer com isso que eu saiba, por experiência própria, como é estar morto como uma pedra. Na verdade, se tivesse de fazer uma comparação, acho que não há nada mais morto do que a lápide de um túmulo. Quem inventou esta antiga expressão foram os nossos sábios antepassados, e não serei eu quem vai querer mudá-la, senão, daqui a pouco, tudo estará de pernas para o ar. Deixe-me, portanto, repetir com toda ênfase: Marley estava tão morto quanto uma pedra.

Um Conto de Natal, Charles Dickens

Anúncios

2 comentários em “Primeiras Linhas – Um Conto de Natal de Charles Dickens

  1. Eu amo esse livro, Tábata.
    Na verdade, eu amo livros sobre a época do Natal (exceto, os infantis) porque nasci na véspera. kkkkk
    Mas Um Conto de Natal é especial. Um clássico sobre um mundo que eu estudei na facul. Está na lista dos favoritos!

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um Comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s