Sobre Livros

Retrospectiva Literária 2016

retrospectivaliteraria2016

Quando vi a Retrospectiva Literária 2015 no blog da Lu anotei nos meus alfarrábios para fazer para o ano de 2016 aqui no blog. Só que me esqueci de um pequeno detalhe: a retrospectiva deveria ser postada no dia 31 de dezembro, junto com os demais participantes, já que é uma postagem coletiva. ¬¬ Mesmo assim, decidi fazer, porque tenho tentado me torna uma pessoa mais deboas com essas regrinhas que geralmente me impediam de fazer coisas… :)

A Retrospectiva Literária, criada pela Angélica, tem a ideia de “propiciar que os leitores vorazes façam um balanço dos livros lidos durante o ano e que, através de suas respostas, planejem o ano seguinte.”

Além da retrospectiva, pretendo fazer o infográfico, assim como fiz para as minhas leituras de 2015, mas isso é papo para outro post. :)

A aventura que me tirou o fôlego: Como Quebrar a Maldição de um Dragão da Cressida Cowell é o quarto livro da divertidíssima coleção Como Treinar o Seu Dragão e foi a aventura do qual mais gostei, com certeza. Soluço se vê obrigado a sair numa aventura perigosa para encontrar o raro antídoto do veneno da Vorpente Venenosa. Ele se mete em várias enrascadas e sobrevive a outras e ainda no final somos surpreendidos com uma reviravolta super legal. Para quem ainda não leu a série, super recomendo.

O terror que me deixou sem dormir: Não é tão aterrorizante mas confesso que a narrativa, a criação do ambiente e suspenses criados por Poe em O Poço e o Pêndulo foi de arrepiar os cabelinhos do joelho.

O suspense mais eletrizante: Rola um suspense muito bom em A Herdeira. Elizabeth se torna uma mulher rica e poderosa herdando os negócios farmacêuticos do pai depois da sua inexplicável morte, mas ela acaba descobrindo que não é bem vinda pelos demais sócios e sua vida está em risco. Sidney Sheldon cria um ambiente de mistério muito bom que vale a pena a leitura.

O romance que me fez suspirar: Eu li um romance em 2016 e ele definitivamente não me fez suspirar. Não por ser ruim, mas por ser um romance triste. Os Sofrimentos do Jovem Wherther é um livro maravilhoso mas não tem nada de suspirante.

A fantasia que me encantou: Nimona, que foi o último livro lido do ano. A graphic novel é tão level e divertida que a gente termina o livro com saudades da personagem principal… querendo mais, sabe como é? <3

A saga que me conquistou: Então. Não é que tenha conquistado meu core de vez (e nem que seja uma saga) mas eu estava numa vibe tão ruim pra leitura que quando peguei o primeiro da série simplesmente devorei os 6 primeiros volumes em menos de um mês. Estou falando de Maldosas da Sara Shepard. Sim, o livro que inspirou a série Pretty Little Liars. O livro é bobinho mas tem um suspense legal e é uma leitura tão leve… fluiu demais! Acabei lendo até o sexto livro, esse já empurrado, confesso, e desisti de vez. As personagens principais não evoluem, não se desenvolvem como seres humanos, cometem os mesmo erros desde o livro um e isso me irritou demais. Sem falar que alguns assuntos, na minha opinião, são tratados de forma um pouco negligentes pela autora, o que me incomodou demais também. Eu acompanho a série (que está em sua última temporada) e digo que tinha tudo para ambos serem muito interessantes mas, para mim, se perderam no meio do caminho. Conquistou no início mas não cativou de vez.

O clássico que me marcou: O livro em si não me marcou muito mas o capítulo da Baleia de Vidas Secas… esse marcou demais… Com um nó muito bem dado no coração e no estômago. :/

O nacional que adorei: Baleia #3 da Rebeca Prado. Quadrinho curtinhos sobre  o dia-a-dia, a vida, o universo e tudo mais. Impossível não se identificar!

O livro que me fez refletir: Tô pra ver autora que consegue descrever temas tão pesados de forma tão graciosa e divertida como a Marjane Sartrapi. Em Bordados, ela retrata as conversas que as mulheres iranianas comumente têm na cozinha, fofocando vida alheia enquanto abordam assuntos como infidelidade, sexo, tristeza e frustrações. Foi entre uma virada de página e outra que me peguei refletindo muito sobre cada assunto abordado mas principalmente como o machismo pode tornar a vida das mulheres miserável. :/

O livro que me fez rir: Darth Vader e Filho me arrancou sorrisos diante das ilustrações fofas e bem boladas do Jeffrey Brown.

O livro que me fez chorar: Em Algum Lugar nas Estrelas é a minha lembrança mais recente. Que livro, minha gente, que livro!

O livro que me decepcionou: Sempre li críticas ótimas sobre o livro em diversos blogs, está na lista de 1001 livros para ler antes de morrer, é um thriller psicológico e tem serial killer: o que poderia dar errado? Nada. No entando, a leitura dO Perfume simplesmente não colou pra mim. Foi arrastada e sem graça, poucas páginas me prenderam realmente e dei graças a zeus quando terminei. Foi, com certeza, a decepção de 2016.

O livro que me surpreendeu: Resolvi ler A Dama Pálida de Alexandre Dumas de ímpeto, não tinha expectativa nenhuma sobre o livro e acabei me surpreendendo positivamente. Uma história muita intrigante sobre vampirismo.

O livro que devorei: Harry Potter e a Criança Amaldiçoada devidamente devorado em duas horas.

O livro que abandonei: No Caminho de Swann de Marcel Proust. Deixei de lado para lê-lo numa outra hora oportuna.

O livro que comecei, mas não terminei: Segredos do Romance Policial da P. D. James, o qual ainda estou lendo.

A capa que amei: Porque eu adoro turquesa!

melhorcapade2016

A capa que detestei: Qualquer uma da série Maldosas. Tão sem graça aquelas bonecas na capa. ¬¬

O thriller psicológico que me arrepiou: Não li nenhum! :/

A frase que não saiu da minha cabeça: “[…] Sabia que, no interior de cada árvore, desenhados no tronco, havia círculos que contavam a história de um ano na vida da árvore e da floresta. Que tipo de cicatrizes e linhas alguém encontraria na vida de uma árvore?, eu me perguntava. Será que as pessoas também tinham linhas que contavam suas histórias? Como seriam as minhas?” Em Algum Lugar nas Estrelas da Claire Vanderpool

O(a) personagem do ano: Lorde Ballister Coração-Negro da graphic Nimona! É pra ele ser o vilão… mas é o vilão mais adorável que existe. Impossível não se apaixonar. :)

O casal perfeito: Não são um casal romanticamente falando mas Early e Jack de Em Algum Lugar nas Estrelas da Claire Vanderpool se completam de um jeito maravilhoso e envolvente.

O(a) autor(a) revelação: Claire Vanderpool, com certeza.

O(a) autor(a) que mais esteve presente entre as minhas leituras: Edgar Alan Poe, por conta do Desafio #12MesesdePoe.

O gênero literário que mais li:  Mistério, suspense.

O gênero literário que preciso ler mais: Romance.

O melhor livro que li em 2016: Ai, ai! Difícil escolher! Fico com Em Algum Lugar nas Estrelas.

Li em 2016 66 livros.

A minha meta literária para 2017 é: 70 livros.

É isso! Smack pra vocês! :)

Anúncios

Deixe um Comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s